A importância de aprender a pensar

24/04/2012 13:49

 

Após realizar diversos eventos para estudantes na época dos lançamentos dos meus livros fiquei assustado com as falhas de ensino que encontrei , professores despreparados para enfrentar uma geração de multi-conhecimentos e com sede de informações , um sistema arcaico baseado em monólogos em sala de aula , provas sem nenhuma criatividade que valorizam o decorar ao invés do saber , testes de múltipla escolha , que existem simplesmente para preparar o aluno para a maratona do vestibular , um sistema de avaliação desigual e sacrificante para o aluno que alimenta uma rentável e rica industria de cursos pré-vestibulares.

Imagine se as soluções dos problemas da vida viessem em múltipla escolha , isso não existe , a vida não lhe oferece respostas pré-formatadas para você escolher , na vida temos que pensar.

Chegamos ao ponto nefrálgico da educação , os alunos NÃO sabem pensar , pois não são ensinados e incitados a isso , a grade educacional é muito chata , aprendemos a odiar Física , Química , Matemática por serem extremamente mal ministradas , você decora formulas que não lhe trazem nenhuma ligação com a realidade , não são aplicáveis no dia a dia , você só as utiliza para passar no vestibular ou se formar , por que um aluno  teria interesse em aprende-las , na era da informática as formulas estão á sua disposição , você apenas tem que saber o que fazer com elas , e isso não é ensinado em sala de aula.

Como irão sobreviver em um mundo caótico que cada vez respeita menos as regras , onde a única certeza é a mudança , onde o volume de informações dobra a cada 8 meses , onde no dia da sua formatura você descobrirá que a realidade do mercado em que você irá atuar é completamente diferente daquele que você estudou e se preparou por quase meia década.

Veja o exemplo do professor que em curso de mestrado propôs aos alunos:

  • Se fossem morar numa ilha deserta e pudessem levar apenas um livro, qual escolheriam? 

Respostas variadas, segundo interesses, concepções e predileções individuais: 

  • Os Miseráveis, de Victor Hugo. - O Emílio, de Rousseau. - O Capital, de Marx. - A Interpretação dos Sonhos, de Freud. - A Origem das Espécies, de Darwin. - As Flores do Mal, de Baudelaire. - Os Diálogos, de Platão. - O Príncipe, de Maquiavel. - A Teoria d a Relatividade, de Einstein. 

O professor apenas sorriu e disse: 

  • Não seria mais proveitoso um Manual de Sobrevivência?

Espero ter feito você pensar um pouquinho sobre esse assunto.